venerdì 21 aprile 2017

discendenti di italiani nelle Americhe


Non so su quale banca dati si basi il grafico, ma, per le mie conoscenze su Rio Grande do Sul, Uruguay e Argentina è corretto:

imgur

tratto da reddit

giovedì 18 agosto 2016

Brasil 1870: Sociedades de beneficência italianas


"Sociedade de beneficência e instrução

As sociedades de beneficência italianas, 
há duas  sociedades uma na Bahia e uma no Rio de Janeiro, 
pensam somente na acumulação de capitais, 
servem a mesquinhas rivalidades particulares 
e não fornecem nehuma ajuda aos pobres emigrantes 
que são obrigados a voltar para Itália 
e, na triste contingência de uma epidemia, 
não prestam o socorro necessárias aos italianos 
que são acometidos pela doença.

Porém, atualmente, 
está se estudando uma forma para unificar 
a Sociedade italiana de beneficência da Bahia 
(que tem uma filial no Rio de Janeiro) 
com a Sociedade de Mútuo Socorro de Rio de Janeiro, 
e acredita-se possa se realizar esta fusão 
através de um regulamento mais adequado 
às necessidades e ao progresso da nossa colónia.

Está sendo fundada uma escola para a instrução de crianças e adultos; 
em poucos meses 
o Consulado arrecadou a este fim 4000 liras italianas 
de doações voluntárias 
e está quase certa a abertura da escola em breve".

Extraído e traduzido de

Delle colonie e dell'emigrazione d'italiani all'estero
sotto l'aspetto dell'industria commercio, agricoltura,
e con trattazione d'importanti questioni sociali: Volume 2 1874


mercoledì 17 agosto 2016

Brasil 1870: dificuldades para os emigrantes


Imigração italiana e suas tendências.

A maioria dos emigrantes que saem da Itália para o Brasil,
são proletários sem instrução 
e quem não têm a menor noção de como iniciar um comércio.
Além disso, muitos destes emigrantes chegam aqui 
com estranhas ilusões 
e acreditam encontrar um país completamente selvagem.
Ao contrário, logo na chegada, 
se deparam com progressos industriais 
dos quais não tinham conhecimento em suas aldéias 
e se deparam com uma desconfiança geral.
Desiludisos, 
por ter esgotados os parcos recursos de que dispunham 
sujeitam-se à ajuda de particulares 
para sobreviverem 
até que se resignam a aceitar qualquer trabalho.
Seria portanto necessário que o emigrante, 
quando se prepara para a viagem,
encontrasse quem pudesse garantir-lhe 
a passagem de de volta, 
uma garantia que lhe porporcionaria um grande alívio 
quando doenças ou clima 
lhe impedissem de encontrar trabalho no Brasil.

Empreendimentos industriais -

Em 1839, várias famílias da aldeia de Altare, 
na região de Savona, 
vieram ao Brasil para trabalhar em uma fabrica de vidro que, 
apesar de abandonada por muitos destes trabalhadores, 
ainda funciona e continua sendo dirigida por um italiano.

Extraído e traduzido de:

Delle colonie e dell'emigrazione d'italiani all'estero 
sotto l'aspetto dell'industria commercio, agricoltura, 
e con trattazione d'importanti questioni sociali : Volume 2 1874

lunedì 15 agosto 2016

Brasil 1870: condição econômica e moral dos italianos.

[...]

Economia – 
Não é grande o número das casas commerciais italianas no Brasil, 
mesmo qua algumas tenham capitais bem importantes.
No Rio de Janeiro, 
onde residem os italianos mais ricos, 
somente seis casas comerciais 
possuem um capital superior a meio milhão de francos, 
mas muito numerosos são aqueles que, 
com o comércio ambulante ou em suas lojas, 
possuem capitais de dez mil a cem mil francos.
Somente três ou quatro italianos 
adquiriram terras ou sitios ou fazendas e dedicaram-se à agricultura.
O valor total enviado, por ano, 
somente das províncias ao sul de Rio de Janeiro, 
às famílias na Itália 
pode ser avaliado em, 
no mínimo, cinco milhões de francos. 
Deste total, somente um terceira parte, 
aproximadamente, è enviada pelos Consulados.

Moral. – 
No Brasil, os italianos são geralmente considerados trabalhadores,
honestos nos negócios, 
respeitosos das autoridades locais e,
 junto com os portugueses, 
estão entre os mais estimados 
dos estrangeiros que aqui aportam à procura de uma vida melhor. 
O italiano tem a vantagem de ser mais inteligente 
e mais ativo que o imigrante português, 
aguenta quanto este último o clima, 
mas não podemos deixar de reparar que desanima mais facilmente, 
talvez porque naõ pode contar com a ajuda de seus conterrâneos. 
De fato qualquer problema 
deve ser resolvido pelo Consulado 
que deve arrrecadar recursos entre os cidadãos 
e solicitar descontos nas passagens.
Seria portanto desejável que o Real Governo 
concedesse subvenções 
a uma Companhia Maritima que navegue para o Brasil 
e reserve 24 passagens gratuitas ao ano 
para a Itália e para o Rio da Prata 
para que aqueles que sofrem demasiadamente por causa do clima 
e estejam sem possibilidade de se sustentar 
possam encontrar trabalho e pão 
em paises onde o clima é mais ameno.

Extraído e traduzido de:

Delle colonie e dell'emigrazione d'italiani all'estero sotto l'aspetto dell'industria commercio, agricoltura, e con trattazione d'importanti questioni sociali
Volume 2 1874

giovedì 11 agosto 2016

Imigrantes: Números e Representações consulares.


"Imigrantes
[dados do Censo de 31 de dezembro de 1870]

Argentina 130,000 
Outras Repúblicas do Prata 80,000 
Brasil 18,000
Brasil Rio de Janeiro 2,519

Dados mais recentes aumentariam 
a população italiana [...] e no Brasil a 25,000.

BRASIL: 
Consulado: Rio Janeiro. 
Vice-consulado – Rio Grande do Sul 
[na realidade a cidade de Rio Grande]
Agências consulares:
Bahia, 
Cearà, 
Cujabà, 
Itapemirim, 
Juis de Fora,
Maranhao, 
Parà, 
Parahibà, 
Paranaguà, 
Pernambuco, 
Porto Alegre, 
Santos, São Paulo e 
Santa Catarina."

extraído e traduzido de: 

Delle colonie e dell'emigrazione 
d'italiani all'estero 
sotto l'aspetto dell'industria, 
commercio, agricoltura, 
e con trattazione 
d'importanti questioni sociali: 
2, Volume 2 1874

É interessante verificar a importância dos portos 
como sede de agências consulares.  


mercoledì 10 agosto 2016

Emigrantes italianos antes de 1870

"No vasto império do Brasil, 
onde relações familiares e politicas 
ligavam a casa de Bragança aos Bourbons de Nápoles,
dirigiu-se, há vários anos uma corrente continua de emigraçao italiana.
Ha cidades da região de Basilicata 
onde surgiram muitas pequenas fortunas 
com o dinheiro que trouxeram do Brasil
os emigrantes desta região.
Antes que fosse comum emigrar para o Prata, 
os serralheiros, os relojoeiros 
e os comerciantes destas províncias 
dirigiam-se para o Brasil onde se fixavam em grande número.
O nosso Consulado estima os italianos 
a Rio Janeiro entre 7 e 8 mil, 
e outros tantos nas províncias,
um total de 15 mil.

E enquanto muitas razões sugerem 
considerar baixa esta estima,
o censo* feito no Brasile diminui ainda mais
os nossos cidadãos a somente 2519."

*Em 31 de dezembro de 1870 foi realizado o primeiro censo do recém criado Reino da Itália.

extraído e traduzido de
  
Della emigrazione italiana in America comparata alle altre emigrazioni europee

Giovanni Florenzano 1 gennaio 1874 Napoli

sabato 6 agosto 2016

Imigrantes 1910: Remessas de dinheiro às famílias na Itália


"As remessas de dinheiro [dos emigrantes] 
aos familiares [na Itália]
tinham origem dos seguintes Países:
Estados Unidos: liras 12,506,533.99 
Canada: liras 137,043.49 
Brasile: liras 1,911,634.55 
Argentina: liras 9,461,885.10"

Os dados referem-se ao ano 1910.
Em 1910 um operário especializado recebia, em média,
160 liras por mês,
e um funcionário podia chegar a 250 liras.

Extraido e traduzido de:

Emigrazione e Emigranti
Angiolo Cabrini
Bologna 1911